INFORMATIVO Nº 215

Prefeitura de São Paulo amplia o rodízio de veículos, em busca de restringir a circulação de pessoas em toda a cidade, como forma de elevar o índice de isolamento social

Em: Direito Público

Em busca de aumentar os índices de isolamento social, o rodízio de veículos na capital paulista é ampliado, como tentativa de evitar a decretação de lockdown em toda a cidade.

 

Em 07 de maio de 2020, a Prefeitura de São Paulo, por meio do Prefeito Bruno Covas, anunciou novas medidas para elevar do isolamento social na capital, a fim de conter o avanço das contaminações do novo Corona Vírus, uma vez que o bloqueio de algumas avenidas não surtiu o efeito esperado.

 

A medida adotada foi a retomada do rodízio a partir do dia 12 de maio de 2020 em todo município de São Paulo, abrangendo não somente o centro expandido, mas todo o território municipal.

 

De acordo com a nova regra, nos dias pares apenas veículos de placas com final par podem circular, já nos dias impares apenas carros com placas impares poderão circular.

 

A medida valerá 24 horas por dia, inclusive aos finais de semana e feriados. Estão isentos do rodízio todos aqueles que possuíam isenção anteriormente, acrescidos de alguns trabalhadores pertencentes a algumas categorias definidas como essenciais durante a pandemia.

 

De acordo com o Prefeito, essa medida é necessária para que possa continuar a restringir a circulação de pessoas, bem como, promover a melhora na qualidade do ar, uma vez que, segundo diversas pesquisas, com o ar em melhores condições são inibidas as doenças respiratórias e por consequência pode diminuir número de mortes.

 

Além disso, desde o dia 12 de maio foram acrescidos mil ônibus a rede de transportes, sendo que outros 600 ficarão nos bolsões perto dos terminais de ônibus, para que caso haja necessidade, sejam incrementados ao sistema municipal de forma ágil.

 

Pontua ainda o Prefeito que esta medida tem, também, a finalidade de evitar a decretação de lockdown no município de São Paulo.

 

A medida anunciada causou discussão entre especialistas, que defendem que o ato causará o aumento da concentração de pessoas no transporte público, acarretando um efeito reverso mais grave que a intenção principal da municipalidade, que seria a de reduzir a disseminação do vírus.

 

Ainda assim, outros municípios se espelharam e adotaram medidas semelhantes com a mesma intenção de retardar a disseminação e contaminação pelo novo Corona Vírus.

 

Por:

BRUNA DE ALENCAR ROCHA

MARCOS ANTONIO GABAN MONTEIRO

 

 


icone tag

Compartilhe!

Indicar esta publicação

Assine nossa Newsletter

 

Indique este site

 

Fique conectado conosco